Para pacientes

O diagnóstico de infertilidade deixou de significar que o casal não poderá ter filhos.

Saiba mais...

Para médicos

A Medicina Reprodutiva é uma das áreas da pesquisa médica que mais avançaram nas últimas décadas

Saiba mais...

Seja um parceiro...

Saúde Masculina

Exames do Fator Masculino

A varicocele - as varizes escrotais – é a causa mais significativa de infertilidade masculina, em todo o mundo. Acomete cerca de 45% dos homens que nunca tiveram filhos e em até 85% dos que apresentam infertilidade secundária, ou seja, que não conseguem ter um segundo filho. A segunda causa de infertilidade, que afeta particularmente os brasileiros, são as infecções testiculares, epididimárias e prostáticas.

Espermograma

A investigação deve começar com a análise seminal, ou espermograma, sempre feita em laboratórios de excelência, pois nem todos seguem as recomendações internacionais para a análise do sêmen. Além disso, são necessárias duas amostras diferentes, no mínimo, fornecidas em intervalo de uma a duas semanas, pois existe uma variação normal da produção de espermatozóides em todos os indivíduos.

Avaliação Hormonal

A dosagem dos hormônios correspondentes à atividade testicular é a etapa seguinte. Deve-se medir a testosterona total, FSH, LH e a prolactina. Existe um novo marcador, chamado inibina B, a ser considerado.

Testes Genéticos

Nos indivíduos com mudanças da concentração espermática ou cujo exame físico revelou alterações significativas, além do perfil hormonal, deve ser solicitada a pesquisa genética de cariótipo e de microdeleções do cromossomo Y.

Outros Testes

O exame de Doppler testicular pode ser útil na suspeita de alterações das células do testículo. Existe ainda o teste de função espermática, mais sensível para determinar a qualidade dos espermatozóides.

Outros testes, como o de radicais livres de oxigênio ou de fragmentação do DNA do espermatozóide, também são indicados em situações de suspeitas específicas. Observando essa rotina, o diagnóstico da infertilidade masculina é bem resolvido em 87% dos casos.

Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)

Cerca de 10% dos casais não apresentam causa aparente de infertilidade, mesmo após serem submetidos a rigorosos exames investigativos. Assim, não considera a infertilidade sem causa aparente como relacionada ao indivíduo, mas ao casal como unidade reprodutora. Muitas vezes, apenas quando submetidos as técnicas de Reprodução Assistida, podemos diagnosticar nestes casais fatores relacionados aos gametas que até então eram obscuros nos exames rotineiros.